Preços em alta: Alemanha em alta

É sabido que o mercado imobiliário é extremamente suscetível às mudanças econômicas e sociais de uma nação. Na verdade, durante o ano passado, como prova disso, na maioria das capitais europeias, os preços dos imóveis despencaram. A razão é simples. A falta de possibilidade de potenciais investidores visualizarem ou concluírem a compra de um imóvel, tem levado os próprios proprietários a diminuir os preços de venda dos referidos imóveis a adquirir.

Uma tentativa que poderíamos definir como desesperada, visando a manutenção da economia nacional. Na coluna de hoje, analisaremos um fenômeno muito particular que afetou várias nações europeias no período pós-pandêmico. Aquele relacionado ao aumento dos preços dos imóveis. O protagonista de hoje é a Alemanha, um país em que os preços das casas aumentaram quase 10% ao ano já no primeiro trimestre. Um grande aumento, que confirma a tendência de alta, que se mantém constante há pelo menos uma década. Agora vamos ver se uma bolha imobiliária pode ser gerada neste país, como muitos temem.

Na coluna de hoje, portanto, tentaremos analisar em detalhes qual é a situação atual e como ela pode evoluir nos próximos meses. Então, se você está pronto e intrigado com o assunto ... podemos começar!

Em outro momento histórico, um aumento tão significativo não teria causado o mesmo alvoroço que está recebendo neste período. O registrado hoje é a maior recuperação econômica dos últimos 10 anos. Mas por que a Alemanha não parou mesmo durante uma pandemia que deixou todas as economias internacionais de joelhos?

Existem diversos motivos que justificam este resultado. Em primeiro lugar, lembramos como a Alemanha, a primeira economia europeia, tem taxas de juros muito baixas. Lembramos também a política monetária expansionista do banco central europeu e, por último, mas não menos importante, a excelente situação econômica do país. Se este já era um terreno fértil para garantir um crescimento constante dos preços dos imóveis no país, outras condições adicionais também precisam ser consideradas. Durante a emergência pandêmica, a indústria de construção alemã sofreu uma forte reação adversa. A causa ? Principalmente a falta de matérias-primas como aço, madeira e materiais para isolantes térmicos (fundamentais para o setor).

Razão pela qual o aumento dos preços das casas pré-existentes foi mais fisiológico. Mas isso não é tudo. Deve-se considerar também que diversas manobras têm sido adotadas pelo governo para evitar uma crise econômica. Por exemplo, a lei sobre o congelamento de aluguéis na capital, Berlim, de que falamos em uma de nossas colunas anteriores.

Uma situação bastante crítica que via o aumento adicional dos preços de mercado como a única solução. Munique e Frankfurt estão na mira dos especialistas do setor, pois são as duas únicas cidades com maior risco de uma bolha imobiliária no mundo. Mas, de acordo com o banco público de reconstrução alemão KFW, não há razão para ficar alarmado.

Não sabemos como essa situação vai evoluir. É por isso que não podemos dar certas previsões. Mas, se você quiser saber mais sobre este e tantos outros assuntos relacionados ao mercado imobiliário (e não só), basta se manter atualizado aqui! Sempre e apenas na Realigro!

Busque em Realigro

 

    Conta Realigro

    • Twitter
    • Facebook
    • LinkedIn
    • Instagram
    2005-2022 REALIGRO REAL ESTATE LTD. All Rights Reserved - VAT Nr: 893969932
    Neikos Digital Agency
    1. Preferências

      Para uma melhor utilização do website Realigro, definir suas preferências de idioma, moeda, metros quadrados ou pés quadrados

      Definir agora Não mostrar novamente
    BB